FUNPEC abre processo seletivo para Analista de Desenvolvimento de Sistemas Jr.

02/06/2020 15:02



A  Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura - FUNPEC está com processo seletivo aberto de uma vaga para de Analista de Desenvolvimento de Sistemas Júnior. A atuação será no setor de TI da própria Fundação. O valor do salário é de R$ 4673,71. A Carga horária é de 40 horas semanais.

Os candidatos à vaga deverão ter nível superior completo em Engenharia de Computação, Engenharia Elétrica, Ciências da Computação, ou Ciências e Tecnologia, ou Tecnologia de Redes. Também é necessário possuir pós-graduação em uma das graduações citadas. Além disso, experiência comprovada de, no mínimo 6 seis meses, em análise e desenvolvimento de sistemas.

As inscrições vão até o dia 10 de junho e são feitas, gratuitamente, no site da FUNPEC - www.funpec.br. Lá constam o edital de seleção e o formulário de inscrição. O processo seletivo será realizado em duas etapas: análise de currículo e entrevista técnica. O resultado final será divulgado no site da Fundação.


   
   







Empresas juniores da UFRN discutem saúde mental em isolamento social

01/06/2020 12:13


A Central de Empresas Juniores, vinculada à Pró-Reitoria de Extensão (Proex/UFRN), e a Apta Consultoria, empresa júnior do curso de Psicologia da UFRN, organizam o evento Saúde Mental no Contexto do Isolamento Social. O encontro virtual acontece na próxima quinta-feira, dia 4 de junho, a partir das 16h, por meio da plataforma Google Meets, e contará com a presença da professora Ana Karina Azevedo, do Departamento de Psicologia da UFRN, e do diretor de marketing da Apta Consultoria, Lucas Maciel. 

Segundo o coordenador da Central de Empresas Juniores da UFRN e mediador do encontro, Kleber Cavalcante de Sousa, a ação tem como objetivo informar e discutir os cuidados necessários para manter a boa saúde mental neste momento de pandemia causado pelo novo coronavírus. “Essa iniciativa é necessária e importante, visto que estamos com mais de 60 dias em distanciamento social, e os alunos e empresários juniores precisaram mudar a sua rotina e se adaptar a essa nova realidade”.  

As inscrições são realizadas pelo Sigaa, na aba Extensão, com vagas limitadas. A ação está aberta à comunidade acadêmica e ao público em geral.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







UFRN sedia Seminário Nacional de Gestão da Informação e do Conhecimento

01/06/2020 12:11


O Programa de Pós-graduação em Gestão da Informação e do Conhecimento (PPGIC) e o Departamento de Ciência da Informação (Decin), da UFRN, realizam de 2 a 4 de setembro a segunda edição do Seminário Nacional Gestão Informação e do Conhecimento (II SNGIC). As inscrições acontecem até o dia 28 de agosto e podem ser feitas através do SIGAA.

Com o tema Gestão da informação e do conhecimento: inovação e desafios contemporâneos, a programação do evento inclui conferências, mesas-redondas, minicursos, oficinas, reuniões de pesquisadores e discussão de pesquisas em andamento em nível de mestrado e doutorado, com participação de estudantes e pesquisadores de todo o país. 

Nesta edição, as atividades acontecerão de forma virtual e têm o objetivo de fomentar as discussões qualificadas, a integração entre as universidades e o aprimoramento da produção acadêmica sobre essa temática de grande relevância nacional e internacional.

SUBMISSÕES

Professores, profissionais e alunos de mestrado ou doutorado (sob a orientação de um professor) têm até o dia 10 de julho para enviarem propostas de minicursos e oficinas on-line que farão parte da programação do II SNGIC (clique aqui) para ver as normas de submissão). 

Já mestrandos e os doutorandos das 14 universidades signatárias da Rede de Gestão da Informação e do Conhecimento (Rede GIC) – formada pelas Universidades: UFSC, UFPR, UFRGS, UEL, UDESC, UFRN, UFPB, UFV, UFG, UNIRIO, UNB, UFPE, UFMG e UFAM –  podem submeter trabalhos até o dia 15 de julho (através deste link) para o IV Consórcio Mestral e Doutoral, que acontece durante o SNGIC.

O consórcio busca fomentar a melhoria da qualidade das dissertações e teses em andamento a partir da realização de bancas informais, com a participação de pesquisadores experientes que apresentarão contribuições para as pesquisas analisadas.

Mais informações sobre todas as atividades podem ser consultadas no site https://eventos.ufpr.br/redegic/sngic2020,e no Facebook ou Instagram do evento.

Fonte: Ascom/CCSA-UFRN.


   
   







Pesquisador do IIF/UFRN é selecionado em nova chamada do Serrapilheira

01/06/2020 12:06



O Professor Farinaldo Queiroz, pesquisador do Instituto Internacional de Física da UFRN, foi um dos 23 selecionados na 3ª Chamada Pública de Apoio à Ciência, anunciada hoje, 29/05, pelo Instituto Serrapilheira.

Esta é a terceira vez em que o IIF integra a lista de premiados pelo programa. Em anos anteriores o professor Rafael Chaves (2018) e o professor Thiago Fleury (2019), pesquisadores nas áreas de informação quântica e teoria de cordas, respectivamente, também foram selecionados para receber financiamentos.

Líder da linha de pesquisa em partículas e astropartículas, o Professor Queiroz tem se destacado pelo estudo da matéria escura, no qual tem contribuído com novas abordagens para o assunto. Sua seleção aconteceu através do trabalho “O Universo é escuro”, que trata deste tema.

Nesta chamada, cada um dos selecionados receberá uma linha de financiamento de até R$ 100 mil. Eles também terão acesso a treinamentos, participação em eventos de integração e iniciativas de colaboração, pautadas pelos valores da ciência aberta e diversidade na ciência.

Os cientistas selecionados serão reavaliados após um ano. A partir daí, até três terão o apoio renovado e receberão até R$ 700 mil para investir em suas pesquisas por três anos.

Fonte: Ascom/IIF.


   
   







FUNPEC doa material para confecção de 600 protetores faciais

28/05/2020 10:49



Em mais uma ação para ajudar no combate ao coronavírus, a Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura - FUNPEC doou na manhã desta quinta (28) um vasto material para confecção de faces shields (protetores faciais). Foram entregues ao Instituto Santos Dumont 100 folhas de acetato e 20 quilos de filamento para impressão 3D. Os dois componentes vão proporcionar a confecção de 600 máscaras.

A linha de produção foi montada no final de março por professores e alunos do mestrado em neuroengenharia do centro de pesquisas do Instituto, sediado em Macaíba. Por alguns dias, a linha de produção ficou parada por falta de matéria-prima. "Estávamos sem disponibilidade de acetato, material usado na parte frontal dos equipamentos”, disse o coordenador de pesquisas do Instituto, Edgard Morya. ""Porém com a doação da FUNPEC, ganharemos um novo fôlego na linha de produção", afirmou.

Para o Diretor Geral da FUNPEC, Prof. André Maitelli, "a Fundação tem feito seu papel em apoiar iniciativas inovadoras no combate à pandemia que assola o mundo. Esses protetores serão enviados para hospitais e destinados a profissionais de saúde que estão na linha de batalha", disse.

Os materiais deverão impulsionar a produção, que no primeiro mês de produção alcançou o total de 1.180 equipamentos, com um ritmo de 100 peças produzidas por dia. Os produtos chegaram mais  50 hospitais, serviços de urgência e emergência e maternidades do Rio Grande do Norte, distribuídos entre 17 municípios. 

Tecnologias

O Instituto submeteu um projeto ao Ministério da Ciência e Tecnologia em busca de recursos para ampliar a produção de máscaras-escudo e tirar do papel, também, novos dispositivos necessários ao enfrentamento da doença. Um dos projetos é a criação de uma espécie de cilindro de proteção para uso na cabeça de pacientes internados com a Covid-19. O produto, feito de acetato, foi desenvolvido por alunos do mestrado e seria uma opção mais barata e fácil de usar, reduzindo os riscos de contaminação do ambiente e aumentando o nível de proteção dos profissionais. Seria uma alternativa a caixas de acrílico que hospitais brasileiros começaram a usar e que chegam a custar entre R$ 400 e R$ 500 por peça.

“No nosso projeto calculamos um custo em torno de R$ 50 por peça”, ressaltou Edgard Morya. Paralelamente, alunos e pesquisadores também trabalham no desenvolvimento de respiradores mecânicos, essenciais a pacientes com falta de ar aguda, e esperam a chegada de sensores necessários ao controle da respiração para fazer os primeiros testes em laboratório. Os sensores, em falta no Brasil, virão da China.“Os alunos fizeram um pedido para a realização dos testes. Uma vez que o sistema funcione, o conhecimento será disponibilizado ao mercado”, garantiu Morya.


   
   










Matéria Veiculada na TV Câmara sobre os 40 anos da FUNPEC





Destaque das Colunas


O apoio da FUNPEC para novos pesquisadores

13/03/2020 08:05 por André Maitelli





Redes Sociais