Escola Agrícola de Jundiaí realiza inscrições para especialização em Gestão Ambiental

14/01/2020 12:01


A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), realiza processo seletivo para o curso de Especialização em Gestão Ambiental, na modalidade a distância. O curso tem por finalidade a complementação, ampliação e desenvolvimento do nível de conhecimento teórico-prático de profissionais das instituições de ensino. As inscrições encerram dia 17 de janeiro e podem ser realizadas somente on-line, por meio do Sigaa.

São apresentadas duas linhas de pesquisa: Proteção Ambiental e Gestão de Recursos. A linha de pesquisa Proteção Ambiental busca identificar exequibilidades de uso dos recursos naturais, analisar os problemas ambientais oriundos do uso inadequado dos recursos naturais, estudar a ecodinâmica de paisagens e a questão da degradação e educação ambiental. Já a de Gestão de Recursos visa à identificação de conflitos de uso dos recursos naturais e das políticas ambientais, à análise das políticas de desenvolvimento e do meio ambiente, à avaliação da capacidade de suporte dos sistemas ambientais naturais objetivando a sustentabilidade do desenvolvimento. 

O resultado da seleção será divulgado dia 7 de fevereiro, no site do e-Tec e no Sigaa. Mais informações estão disponíveis no edital

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Mestrado Acadêmico em Nutrição inscreve até o dia 16 de janeiro

10/01/2020 14:00


O Programa de Pós-Graduação em Nutrição (PPGNUT) abre processo seletivo para mestrado acadêmico em Nutrição, com 23 vagas: 20 delas para inscritos externos à UFRN e três para servidores da universidade. O prazo de inscrições, que podem ser feitas via Sigaa, vai até o dia 16 de janeiro. A taxa de inscrição é R$ 100. 

A seleção está disposta em quatro etapas: a homologação das inscrições, cujo resultado será divulgado no dia 27 de janeiro; a prova escrita, no dia 4 de fevereiro, no Departamento de Nutrição/UFRN, às 13h30; do dia 4 ao dia 6 de março serão realizadas as apresentações de propostas de trabalho científico; a análise curricular, que ocorre entre os dias 13 e 17 de março; e a divulgação final dos resultados, no dia 25 de março.

A documentação exigida no edital demanda, entre outros documentos, currículo Lattes, proposta de trabalho científico e exame de proficiência em língua inglesa.

Os inscritos devem ter diploma de graduação em Nutrição ou em áreas correlatas. O mestrado conta com duas linhas de pesquisa: Qualidade de Alimentos, com 10 vagas, e Diagnóstico e Intervenção Nutricional, com 13 vagas. 

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Beber chá 3 vezes por semana reduz em 56% os riscos de doença cardíaca e derrames fatais, indica pesquisa

10/01/2020 11:58



Beber chá ao menos três vezes por semana reduz em 56% os riscos de doença cardíaca e derrames fatais, em 39% os riscos de doença cardíaca e derrames e em 29% os riscos de morte por outras causas, indica uma pesquisa publicada nesta quinta-feira (9) no periódico "European Journal of Preventive Cardiology", da Sociedade Europeia de Cardiologia.

"O consumo habitual de chá está associado a menores riscos de doenças cardiovasculares e morte por todas as causas", afirmou o líder do estudo Xinyan Wang, pesquisador da Academia Chinesa de Ciências Médicas, de Pequim, na China.

Na análise por tipo de chá, foi observado que o consumo de chá verde – rica fonte de polifenóis – estava associado a riscos aproximadamente 25% mais baixos de doenças cardíacas e derrames incidentes, doenças cardíacas e derrames fatais e morte por outras causas.

"Estudos sugeriram que os principais compostos bioativos do chá, os polifenóis, não ficam armazenados no corpo por muito tempo. Por isso, a infestão frequente é necessária para ter um efeito cardioprotetor", afirma outro autor do estudo, Dongfeng Gu, da Academia Chinesa de Ciências Médicas.

A pesquisa acompanha 100 mil pessoas, sem histórico de ataque cardíaco, câncer ou derrame. Alguns grupos têm sido monitorados há sete anos, outros há mais de oito anos. Os participantes foram separados em dois subgrupos: os que bebem chá habitualmente (três ou mais vezes por semana) e os que nunca tomam ou tomam com pouca frequência (menos de três vezes por semana).

Os resultados referentes ao chá verde podem estar relacionados à preferência da população chinesa por esta bebida – 49% dos usuários habituais de chá preferiam este tipo de bebida. Em relação a outros tipos de chá, não há amostra significativa para uma análise estatística.

Segundo os autores, outros estudos randomizados são necessários para confirmar os resultados e orientar as diretrizes alimentares.

Fonte: G1/Ciência.


   
   







Instituto Santos Dumont realiza seleção para mestrado em Neuroengenharia

10/01/2020 11:22


O Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) do Instituto Santos Dumont (ISD), em parceria com a UFRN, realiza seleção para o mestrado em neuroengenharia com ingresso em 2020.1.  As inscrições seguem até o dia 19 de janeiro e os interessados devem se inscrever por meio do link

Serão ofertadas dez vagas, das quais uma é destinada a servidores da UFRN e duas são destinadas a egressos da residência multiprofissional do ISD. O processo seletivo é dividido em duas etapas: a primeira, de avaliação de documentos, e a segunda, relativa às entrevistas. O resultado será divulgado no dia 5 de fevereiro no site do Instituto Santos Dumont.

O mestrado visa a estudar o funcionamento do sistema nervoso e a desenvolver soluções para as limitações e disfunções associadas a esse sistema. Será concentrado na engenharia biomédica, com duração de dois anos, sendo totalmente gratuito.  O programa do mestrado foi estruturado de modo multidisciplinar entre as áreas das exatas, biológicas e humanas. 

Para mais informações consulte o edital ou solucione suas dúvidas por meio do e-mail pgiinels@isd.org.br ou pelo telefone (84)99127-6085.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Estudo da UFRN aponta que consumo do pescado é seguro

10/01/2020 11:06


A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizou a análise de peixes e crustáceos com o intuito de verificar a segurança alimentar do pescado, em virtude do aparecimento de manchas de óleo no litoral brasileiro a partir de agosto de 2019. O diagnóstico foi entregue nesta quinta-feira, 9, ao Governo do Estado e aponta que 17 espécies coletadas no litoral potiguar estão adequadas para ingestão, por não apresentarem componentes tóxicos à saúde humana.

De acordo com o coordenador da Central Analítica do Núcleo de Processamento Primário e Reúso de Água Produzida e Resíduos (NUPPRAR), Djalma Ribeiro da Silva, o resultado das análises de 17 amostras de peixes e invertebrados, coletados no dia 27 de novembro de 2019, na Colônia de Pescadores de Pirangi do Sul e Tibau do Sul, descarta o risco para a saúde do consumidor. “Esses resultados fazem parte de um esforço da UFRN, reforçando nosso compromisso com a sociedade”.

Realizado utilizando critérios qualitativos e quantitativos, o estudo observou a presença de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs), derivados que indicam a presença do petróleo. A coleta do pescado ocorreu sob a supervisão do Departamento de Morfologia da UFRN e do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), quando ocorreu a avaliação visual para detectar óleo no pescado. Em seguida, foi feita uma análise química mais detalhada para verificar a presença de HPAs, levando em consideração padrões internacionais de qualidade do pescado.

O diagnóstico mostra os resultados nas espécies da Cioba, Cambuba, Sardinha, Bicuda, Tainha, Serra-Pininga e Serra, além de lagosta (vermelha), polvo, ostra e sururu. “Os valores de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos encontrados em todas as 17 amostras analisadas encontram-se muito abaixo dos níveis de preocupação definidos pela Comissão de Regulamentação da Comunidade Europeia. Por esse motivo, é possível concluir que o consumo dos pescados e invertebrados não representa risco para a saúde”, explica o pesquisador.

Ainda segundo Djalma da Silva, a análise tomou como base os pescados dos locais mais representativos do RN, visto que do total de 34 toneladas de óleo coletadas, 31 toneladas estavam presentes no Litoral Sul. Então, por analogia, os peixes e frutos do mar dos outros locais não devem apresentar contaminação. Contudo, o pesquisador lembra que o ideal é que todo o litoral seja analisado. Nessa perspectiva, para continuar as análises nas outras colônias de pescadores, o NUPPRAR enviou proposta de financiamento e aguarda retorno.

Análise

A equipe que assinou o relatório técnico “Análises de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos em amostras de pescado coletados no litoral norte-rio-grandense – Novembro/2019” é composta por pesquisadores do NUPPRAR e do Departamento de Morfologia, entretanto, contou ainda com a participação de outras unidades da instituição de ensino, como os Departamentos de Ecologia, de Ecologia Marinha e de Oceanografia e Limnologia.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   










Matéria Veiculada na TV Câmara sobre os 40 anos da FUNPEC





Destaque das Colunas


O apoio da FUNPEC para novos pesquisadores

13/03/2020 08:05 por André Maitelli





Redes Sociais