Pós-graduação em saúde da comunicação humana tem inscrições aberta em Pernambuco

16/09/2019 15:00


O Programa de Pós-Graduação em Saúde da Comunicação Humana do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) divulgou edital de seleção para mestrado com entrada em 2020.  Interessados podem se inscrever de 30 de setembro a 25 de outubro.

As inscrições serão realizadas na secretaria da pós das 8h às 16h. Interessados podem se inscrever pessoalmente, através de procurador ou via sedex. São ofertadas 14 vagas para o mestrado, distribuídas entre as linhas de pesquisa “Audição e Linguagem” e “Motricidade Orofacial, Voz e Funções Correlatas”. O resultado da seleção deve ser divulgado no dia 29 de novembro.

O edital está disponível no Boletim Oficial da UFPE.

Programa de Pós-Graduação em Saúde da Comunicação Humana

Fonte: Ascom da UFPE


   
   







Concurso Fotográfico Mata dos Saguis incentiva contato com meio ambiente

16/09/2019 12:00


Já pensou em ter alguma fotografia de sua autoria reconhecida por um concurso? Bom, se você já fotografou animais ou plantas, isso pode ser possível com a sua participação no Primeiro Concurso Fotográfico da Mata dos Saguis. E se não fotografou, ainda dá tempo. Sob a perspectiva do tema Fauna e Flora Nativa Potiguar, o concurso procura incentivar o contato das pessoas com o meio ambiente no Rio Grande do Norte e está aberto para todos os públicos, com inscrições até 18 de outubro.  

Organizado pelo projeto de extensão Laboratório Natural Mata dos Saguis, do Departamento de Ecologia do Centro de Biociências, a iniciativa provoca a consciência ambiental e o sentimento de preservação. Os interessados podem concorrer com até duas fotos, coloridas ou em preto e branco, em formato JPEG. As fotos precisam ser assinadas e conter informações como data da produção, município do RN onde foi tirada e o nome científico da espécie fotografada. Os candidatos também devem informar nome completo, CPF, escolaridade, formação acadêmica/profissão ou curso e instituição onde estudam (caso sejam estudantes), além de telefone para contato pelo e-mail: <florestinha.ufrn@gmail.com>. 

As fotografias inscritas passarão por três fases de seleção. Na primeira fase, os próprios integrantes do Laboratório Natural vão selecionar as 70% melhores fotografias válidas. Na segunda, as imagens selecionadas passarão por uma nova avaliação, com apreciação de membros da organização, fotógrafos profissionais convidados e pelo público, que terá acesso pelo meio virtual. 

Com o resultado da segunda fase, serão escolhidas para a terceira as 15 melhores fotografias, que serão impressas e expostas no Centro de Biociências da UFRN. A exposição contará com uma votação local e final, exclusiva para o público visitante.  O cálculo para o resultado final do concurso será obtido por meio da média das pontuações obtidas na segunda e na terceira fases.

Todos as fotografias classificadas serão publicadas no site oficial do Laboratório Natural Mata dos Saguis, ao final do concurso, e receberão certificado de participação. Os autores das 10 melhores fotografias terão em seus certificados a ordem de classificação, e os cinco primeiros colocados serão premiados, cada um, com um livro que doado por professores da UFRN. 

O resultado final será divulgado no dia 19 de novembro. Para mais informações, confira o edital.


   
   







Unicamp descobre zika em placentas de gestantes com exame negativo e avalia mudança de protocolo junto ao estado

16/09/2019 10:57


Um estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) revelou a presença do vírus da zika nas placentas de gestantes que tiveram sintomas da doença no período de epidemia, mas resultado negativo em exames. Pesquisadores analisaram mais amostras do que o atual protocolo estadual exige, e pedem à Secretaria de Estado da Saúde que avalie mudanças nesse processo.

Essas mulheres com falso-negativo tiveram seus bebês no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher da Unicamp (Caism). Os tecidos das placentas colhidos, assim como exames de sangue, foram analisados pelo Instituto Adolfo Lutz, que tem o padrão de usar uma única amostra de placenta.

As pacientes autorizaram a pesquisa também pela universidade, que estudava o desenvolvimento de um novo protocolo de coleta da placenta. A diferença foi grande.

  • A análise do tecido pela Unicamp foi feita em 17 placentas e o vírus foi confirmado em 14 delas. Antes, todas estavam com resultado negativo para zika.
  • As cinco amostras de cada placenta foram coletadas e armazenados em condições ideais desde os partos, mantidas congeladas a -70º.
  • As gestantes foram acompanhadas desde a gestação - 2016 e 2017 - até os nascimentos dos bebês, que ocorreram entre 2017 e 2018.
  • Os bebês nasceram sem microcefalia.
  • O protocolo estadual prevê acompanhamento deles, mas nem todas as mães o mantiveram.
  • A Unicamp vai fazer contato com as 14 mães e monitorar seus bebês.

O estudo, financiado por Fapesp e CNPq, foi realizado durante o primeiro semestre de 2019 e os resultados finais foram obtidos em agosto.

Placenta é marcador do zika

A pesquisa faz parte de uma tese de doutorado e foi feita em parceria entre a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e o Instituto de Biologia (IB). Professora titular de obstetrícia e orientadora da tese, Eliana Amaral explica que a placenta se mostrou uma importante depositária do vírus da zika.

"Nós vimos que a placenta é um repositório e um marcador de zika. Significa que não importa quando teve a gravidez, mas mostrou que estava com o vírus zika presente. Não sabemos se é uma barreira", afirma Eliana.

Os 14 bebês precisam ser acompanhados para verificar se apresentarão ou não alguma sequela por conta do vírus na placenta. Algumas das possibilidades provocadas por arboviroses como o zika são problemas auditivos, oftalmológicos e neurológicos.

"É natural para uma mãe que, quando está vendo que não tem nada com a criança, não faça nenhum segmento. Vamos em busca dessas 14 crianças para confirmar se não tiveram nenhuma consequência".

"Como se falou muito do zika só pela microcefalia, a nossa discussão é que as arboviroses podem ter outros tipos de consequência. E entender que a placenta sempre pode ser um bom marcador. Não se dá tanto valor à placenta quanto ela deveria receber", completa a orientadora do estudo.

Amostras de diferentes partes da placenta

Eliana também atua como coordenadora do grupo de pesquisa de arboviroses na gestação da FCM. Segundo ela, no início da epidemia no Brasil, o governo agilizou formas de diagnosticar a doença. "Não podemos exigir deles um conhecimento que não existia".

Os resultados eram rápidos, mas a conclusão da pesquisa mostra que o protocolo precisa ser alterado. Primeiramente, os testes com as cinco amostras das placentas das mães foram feitos na Unicamp utilizando o mesmo kit para diagnóstico do zika usado pelo estado.

"O nosso teste deu positivo, usando o mesmo teste".

Dez dos 14 casos positivos apareceram já no teste usado pelo Instituto Aldolfo Lutz. Um outro teste feito no Laboratório de Vírus Emergentes do Instituto de Biologia consolidou as 14 confirmações da presença do zika.

A professora explica que a divergência nos resultados pode ser explicada pelas orientações de coleta e manuseio, que eram diferentes na época.

"A diferença é que tínhamos amostras coletadas de cinco partes diferentes, rigorosamente controladas para que o tecido ficasse vivo para que o exame fosse feito. Acreditamos que a grande razão da divergência tem a ver com as orientações que não eram habituais, de como tem que ser a coleta, o armazenamento, o cuidado com a placenta".

Os exames foram feitos pela doutoranda Emanuella Meneses Venceslau, com coorientação da docente Maria Laura Costa do Nascimento, da FCM, e colaboração de José Luiz Proença Módena, coordenador do laboratório.

Mudança no protocolo do diagnóstico

Em relação ao protocolo, primeiro é preciso ter a discussão deste estudo com a Secretaria de Estado da Saúde e, posteriormente, do estado de São Paulo com Ministério da Saúde, informou a professora. A Unicamp aguarda retorno do estado sobre essa questão.

"Estabelecer um protocolo de, em situações de arboviroses, manter essa coleta mais detalhada, minuciosa, cuidados da placenta e submeter aos procedimentos recomendados. Toda grávida com febre, manchas na pele, com sinais de arboviroses deveria fazer. O objetivo é transformar isso em política pública", defende Eliana Amaral.

A pesquisa foi feita com uso de recursos, como um freezer a -70º, que não existem atualmente em todas as maternidades. Por isso, será necessário discutir o que será possível fazer para obter o diagnóstico mais preciso.

"A coleta [da placenta] tem que ser de imediato, de preferência na primeira e segunda hora, coletadas as amostras e feita a conservação. Temos no Caism uma estrutura bem desenvolvida de conservação de material, o Biobanco. Esse protocolo é que permitiu que a gente teria uma amostra de qualidade".

O que dizem estado e Ministério da Saúde

A Secretaria de Estado confirmou o contato feito pela Unicamp e disse, por nota, que o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) estadual segue os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde para investigação e diagnóstico de doenças. "O setor está à disposição da pesquisadora", diz o texto.

O Ministério informou que ainda não foi comunicado oficialmente pelo estudo e esclareceu que "adota o protocolo publicado no Guia de Vigilância em Saúde que orienta, diante de um caso suspeito de Zika, principalmente gestantes, casos graves e óbitos, só descartar a partir do resultado de duas sorologias não reagentes ou PRNT [Teste por neutralização de redução de placas] negativo."

"Ainda de acordo com o Guia de Vigilância em Saúde, as amostras de placenta para análise histopatológica e imunohistoquímica devem ser coletadas até a 14ª semana de gestação; em casos de amostras de fetos e natimortos e recém-nascidos com malformação congênita, priorizam-se amostras de sistema nervoso central para IHQ", completa a nota.

O Ministério explica que desde 2016 desenvolveu estratégias de diagnóstico rápido para a Síndrome Congênita Associada à Infecção pelo vírus zika em crianças, e também fornece ajuda financeira para os pacientes que têm a síndrome.

"Quando forem identificados sinais e sintomas compatíveis com a síndrome congênita associada à infecção pelo vírus Zika, ou confirmado diagnóstico, a criança é encaminhada para a estimulação precoce, atendimento que envolve técnicas para estimulação neurossensorial específicas para lidar com problemas de mobilidade motora, fala, postura, entre outros. Cabe informar que as equipes de profissionais, junto aos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) poderão promover a estimulação precoce das crianças".

Fonte: G1/Ciência.


   
   







V ENNFAIES estende prazo de inscrição

16/09/2019 10:23



As inscrições para o V Encontro Norte e Nordeste de Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica – ENNFAIES foram prorrogadas até o dia 20 de setembro. O evento será realizado pela segunda vez em Natal-RN, com a organização da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura - FUNPEC. O encontro acontecerá em um único dia, 27 de setembro, no Hotel Holiday Inn, e reunirá representantes das fundações de vários estados do Brasil.

O objetivo é promover uma intensa e proveitosa troca de experiências e compartilhamento de soluções nas diversas áreas de atuação das Fundações. O encontro visa, também, o crescimento e a capacitação das equipes técnicas e de gestão, nas áreas jurídica, comunicação, captação e promoção, administrativa, contábil e financeira. Além de possibilitar o cultivo e o aprofundamento de relacionamentos entre as Fundações de Apoio.

Para a participar do V ENNFAIES, basta acessar a página eventos.funpec.br,

Evento

As inscrições para o V ENNFAIES  seguem até o dia 20 de setembro. O evento será realizado no Hotel Holiday Inn Natal, considerado um dos melhores hotéis para eventos em Natal, com acomodações requintadas e ambientes aconchegantes e elegantes. O estilo moderno do hotel favorece a necessária interação aos que dele se utilizarão.

Endereço: Avenida Senador Salgado Filho, 1906 - Lagoa Nova. Natal/RN (Vizinho ao Arena das Dunas).

Sugestão de Hospedagem no próprio local do evento.

Apartamento simples incluso café da manhã: R$ 169,00 (diária)

Apartamento duplo incluso café da manhã: R$ 220,00 (diária)

Valores e período de inscrição

1° período de 28/08/2019 a 06/09/19 - R$ 250,00

2° período de 09/09/2019 a 20/09/19 - R$ 300,00



   
   







Programa de fomento a startups será apresentado no IMD

13/09/2019 18:00


O programa Conecta Startup Brasil, que tem o principal objetivo de formar empreendedores e subsidiar a criação e o desenvolvimento de novas empresas de tecnologia, terá um evento de apresentação em Natal na segunda-feira, 17, às 18h, no Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN). A incubadora de empresas Inova Metrópole é parceira estratégica do programa, que vai investir até R$ 100 mil nos empreendimentos selecionados em todo o país. 

A iniciativa do Conecta Startup se constituiu em uma ação conjunta do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da SOFTEX, em parceria de execução do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O prazo para submissão de propostas foi aberto no dia 27 de agosto e vai seguir até 27 de setembro.

A inscrição para participar do evento do programa em Natal, intitulado Conecta Startup Brasil – Roadshow Natal/RN, é gratuita e pode ser feita por meio deste link.

Público

Tendo como público-alvo equipes empreendedoras e/ou startups em estágio de ideação, o programa é dividido em quatro etapas principais. A primeira é a fase de preparação, na qual é feito o cadastro dos desafios locais – relacionados a demandas reais de empresas já estabelecidas no mercado – e as capacitações dos empreendedores que queiram inscrever projetos, por meio do método de Educação a Distância (EAD).

Já na fase de conceituação serão selecionadas 100 startups, que vão receber o aporte financeiro de R$ 20 mil cada. A terceira fase, de validação, vai escolher, a partir desse número, 50 empresas, que serão financiadas com R$ 30 mil. Esse total mais uma vez vai ser reduzido, por meio de concorrência, sendo escolhidas as 25 finalistas, que receberão R$ 50 mil.

Investidores privados

Ou seja, o valor total que uma empresa que passar por todas as etapas do programa pode receber será de R$ 100 mil, no formato de bolsas do CNPQ. No entanto, mais R$ 100 mil poderão ser investidos por empresas privadas ao término desse processo, totalizando R$ 200 mil.

Apesar de o Conecta Startup Brasil apresentar para as equipes concorrentes demandas reais do mercado, as startups ou equipes de empreendedores que queiram concorrer não precisam, necessariamente, desenvolver seu produto ou serviço vinculado a esses objetivos pré-determinados.

Programação

A programação do Roadshow Conecta em Natal vai contar com os seguintes momentos: apresentação do Programa Conecta Startup Brasil e do Edital para Empreendedores; exposição de cases de empresas, compartilhando suas experiências com inovação aberta; apresentações de startups, compartilhando seus erros e acertos no processo de validação do negócio; e o coffee break. Começando às 18h, o evento está previsto para se estender até as 21h30.

Para ter acesso a mais informações sobre o programa, basta acessar a sua página nacional, no seguinte endereço eletrônico. Já o seu edital, com todas as regras e orientações, pode ser encontrado através deste link.


   
   










V ENNFAIES





Destaque das Colunas


A Importância da Ciência e Tecnologia para um País

16/12/2019 11:06 por André Maitelli





Redes Sociais