Artigo mostra rotas do novo coronavírus no Brasil

08/07/2020 10:40


Quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou, no dia 11 de março deste ano, que se tratava de uma pandemia global a contaminação pelo novo coronavírus, o mundo passou a acompanhar mais atentamente e com espanto o avanço veloz dos números da covid-19. No Brasil, oficialmente, a primeira confirmação foi no dia 26 de fevereiro e em menos de um mês depois todos os estados do país já contavam ao menos um caso.

Para entender os caminhos que o novo coronavírus fez no Brasil, em sua chegada e ao se disseminar pelo país, pesquisadores do Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres /UFRN), campus Caicó, realizaram um estudo analisando a dados epidemiológicos e informações aeroportuárias e de transporte aéreo. Intitulado Identificação das rotas iniciais de importação e disseminação da covid-19 no Brasil, o artigo foi publicado na revista GeoSaberes, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Ao longo do estudo, os pesquisadores apresentam dados sobre as contaminações iniciais pelo novo coronavírus em cada estado. Observou-se que 19 deles (66,7%) tiveram primeiros casos relacionados a pessoas com histórico de viagem internacional. Em apenas oito estados (33,3%) os relatos dão conta de primeiros casos registrados após viagens dentro do território nacional.

“De maneira geral, a contaminação do país se deu, principalmente, por pessoas com histórico de viagem para Europa e EUA e, secundariamente, por viajantes de São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza para outras cidades do país, todas de avião. Caso o Brasil tivesse fechado seus aeroportos ainda em fevereiro para voos vindos desses destinos, os casos iniciais poderiam ter sido evitados, uma vez que não há registro do tipo vindo dos países vizinhos por via terrestre”, explica o professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia do Ceres Caicó, Marco Túlio Mendonça Diniz, um dos autores do artigo.

Em números, de acordo com os dados epidemiológicos utilizados pelo estudo, para casos de covid-19 relacionados a pessoas com histórico de viagem internacional, em 90,48% foram identificados registros de visita ao continente Europeu. Já entre aqueles que relataram ter viajado apenas dentro do Brasil foram apontados os estados de São Paulo (66,7%), Rio de Janeiro (22,2%) e Ceará (11,1%) como destino.

“Este estudo registrou as rotas iniciais de contaminação no país, bem como sua difusão. Ele aponta que o contágio da pandemia no Brasil se deu por aeroportos e por passageiros vindos de países com altos índices da doença, o principal deles a Itália. A decisão de fechar os aeroportos para voos desses países foi tomada por muitas nações, como a Nova Zelândia, fato que infelizmente não ocorreu aqui por falta de gestão”, afirma o professor Marco Túlio.

Também assinam o artigo os pesquisadores Vitor Hugo Pereira, membro do Grupo de Pesquisa em Geoprocessamento e Geografia Física da UFRN, Glairton Rocha e Marcos Antônio Cavalcante, do Grupo Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Instituto Federal do Piauí (IFPI). Para conferir o trabalho na íntegra, clique aqui.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Inscrição nos webminicursos da SBPC termina nesta quarta

08/07/2020 10:36


A Mini Reunião Anual Virtual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) acontece de 12 a 24 de julho, com diversas atividades remotas, como conferências e painéis. Para participar dos webminicursos é preciso efetuar inscrição até esta quarta-feira, 8 de julho.

A edição tradicional da 72ª Reunião Anual aconteceria, de 12 a 18 de julho, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mas precisou ser adiada devido à pandemia da covid-19. Como ainda não foi definido um novo período para o evento presencial, a SBPC organizou uma versão virtual do evento, que terá atividades transmitidos ao vivo no canal do YouTube da SBPC e compartilhados na página do Facebook (@SBPCnet). 

Os webminicursos terão videoaulas gravadas, que serão disponibilizadas de 8 a 19 de julho. Já a última aula será ao vivo, pelo Zoom, em data específica agendada na semana de 20 a 24 de julho. Para assistir às aulas será necessário fazer matrícula e pagar a taxa de inscrição. Confira a programação completa no site do evento.

Fonte: Ascom/Reitoria UFRN.


   
   







Comunic-Ação continua promovendo atividades complementares

08/07/2020 10:34


O Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia (PPgEM) em parceria com Departamento de Comunicação (Decom) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, através do I Comunic- Ação: Ensino, Pesquisa e Democracia segue realizando minicursos, mesas redondas, palestras e diversas outras atividades até 31 de julho. O evento é realizado virtualmente e surge como uma iniciativa de enfrentamento desta nova realidade que o mundo está vivendo na saúde pública, com a pandemia do novo coronavírus. A ideia é promover a socialização do conhecimento acadêmico e oportunizar que alunos e professores compartilhem suas pesquisas de forma democrática.

Segundo a coordenadora do PPgEM, professora Luciana Miranda Costa, o PPgEM e o Decom buscam com essa iniciativa encontrar soluções que promovam um acolhimento a partir de atividades que vão contribuir para esse ‘novo  normal’,  “porque a vida vai continuar e nós vamos ter também que prosseguir com o ensino, a pesquisa, nossos projetos e planejamentos acadêmicos”. E ainda, enfatiza, que isso precisa ser feito de um modo acolhedor, sem rigor e que não pressione as relações, pois compreende que, infelizmente, neste momento existe uma quantidade expressiva de alunos e colaboradores com dificuldade de acesso à internet, com problemas de saúde na família, vinculados à própria pandemia.

No entanto, conforme Luciana, a ideia do Comunic-Ação é justamente proporcionar uma comunicação interativa, com elementos que vão contribuir para esse dia a dia, esse novo normal e cotidiano que vai se incorporando nas rotinas de todos os cidadãos.  O evento visa a partir de um esforço coletivo, promover uma contribuição significativa com as mais variadas temáticas das áreas do conhecimento, através de atividades práticas e teóricas, sempre sob o olhar da comunicação.

As inscrições do minicurso devem ser feitas pelo site: www.even3.com.br/comunic_acao.

Programação de 7 a 10 de julho do I Comunic-Ação:

Mesa-redonda (07/07 – 19h às 21h) – Midiatização e os fenômenos religiosos digitais. Debatedores: Prof. Dr. Moisés Sbardelotto (Unisinos) e Odlinari Ramon Nascimento da Silva (Doutorando – PPgEM/UFRN) – Mediação: Prof.ª Dra. Luciana Miranda Costa (UFRN).

Palestra (08/07 – 14h) – Mídias independentes e o mundo do “novo normal”: a pluralidade de vozes como pressuposto democrático – Mediação: Alexandre Arthur Cunha da Silva (Mestrando – PPgEM/UFRN).

Mesa-redonda (08/07 – 15h às 16h) O papel da mídia regional durante a pandemia. Convidadas: Prof.ª Dra. Valquíria Aparecida Passos Kneipp (UFRN), Prof.ª Dra. Maria Érica de Oliveira Lima (UFC) e Diana Barreto (Editora-chefe do RN1 – InterTVCabugi) – Mediação: Francisco das Chagas Sales Júnior (Mestre – PPgEM/UFRN).

Palestra (09/07 – 14h às 15h) A TV aberta no RN: uma análise do perfil editorial da produção local – Mediação: Francisco das Chagas Sales Júnior (Mestre – PPgEM/UFRN).

Mesa-redonda (09/07 – 15h às 17h) A fotografia como instrumento político e pedagógico de fortalecimento da democracia. Convidados: Prof.ª Ma. Agda Aquino (UFPB e UEPB), Prof. Dr. Rostand Melo (UEPB), Prof. Dr. Daniel Meirinho (PPgEM – UFRN) e Elisa Elsie (Mestranda – PpgEM/UFRN) – Mediação: Emily Gonzaga de Araújo (Doutoranda – PPgEM/UFRN).

Palestra-aula (10/07 – 15h) O que é afinal a Comunicação? Prof. Dr. Adriano Duarte Rodrigues (Professor catedrático da Universidade Nova de Lisboa).

Fonte: Agecom/UFRN


   
   







Pressão nas UPA’s diminui, aponta estudo da UFRN

30/06/2020 11:45


Levantamento feito por um grupo de pesquisadores do Departamento de Física Teórica e Experimental (DFTE/UFRN) e do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) apresenta indícios de uma atenuação das curvas relacionadas ao novo coronavírus no Rio Grande do Norte. Segundo o estudo, apesar da atual demanda por leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), as solicitações por parte das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) do estado tiveram uma diminuição importante na última semana.

Após um pico no dia 21 de junho, com as cerca de 140 solicitações diárias na data, esses números vêm em queda, atingindo a marca de aproximadamente 50 no dia 27. De acordo com a análise dos pesquisadores, essa pressão nas UPA’s deve refletir uma diminuição nas internações e na requisição de vagas de UTI e semi-intensivos ao longo dos próximos dias.

A equipe, que tem avaliado as séries temporais da demanda por leitos partir das UPA’s, afirma que este é um importante indicador do platô previsto em modelos matemáticos. Tais dados revelam que o RN já passou pelo pico de expostos e está no auge crítico de hospitalizações. Porém o trabalho chama a atenção para a importantância de manter um baixo índice de transmissibilidade por, pelo menos, 10 dias consecutivos.

“Temos indicadores importantes e estes confirmam tendência de estabilização juntamente com as projeções do modelo, mas deixamos claro que não é o momento de relaxarmos. Esse resultado fortalece a necessidade de movimentos sociais lentos, gradativos e cuidadosos, pautados pelas evidências científicas. A transmissibilidade continua acima de 1, e as medidas de restrição social não podem sumir. Para vencer, o RN precisa de um plano conservador de flexibilização ou, caso contrário, perderá todo o trabalho construído até aqui”, explica o professor do DFTE, José Dias, líder da equipe de pesquisadores.

Para acompanhar mais informações e ter acesso a todos os gráficos elaborados pelo grupo, basta clicar aqui e conhecer esta e outras pesquisas.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







CE debate os desafios da educação superior em tempos de pandemia

30/06/2020 11:44


Nesta quarta-feira, dia 01 de julho, o Grupo de Pesquisa Educação, Política e Práxis Educativa do Programa de Pós-Graduação em Educação ((PPGEd) do Centro de Educação (CE) da UFRN realiza mais um encontro on line para discutir Os desafios do cotidiano acadêmico na educação superior em tempos de pandemia. A ação tem como objetivo analisar os desafios e as possibilidades da educação superior no atual cenário marcado pela crise do novo coronavírus. 

São convidados para participar do evento virtual os professores  Allan Solano Souza, da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), Odete da Cruz Mendes, da Universidade Federal da Paraíba (UFPA) e Nataniel da Vera-Cruz, da Universidade Federal de Tocantins (UTO). O professor Antônio Cabral Neto, do Centro de Educação, mediará a apresentação, que acontece às 18h30, pelo facebook.com/ceufrn.

O próximo encontro será realizado no dia 08, às 16h, para falar sobre Avaliação educacional: regulação em detrimento da qualidade, com a participação do professor titular (aposentado) Luiz Carlos de Freitas, da Faculdade de Educação, da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. A mediação será da professora Maria Aparecida de Queiroz (PPGEd/UFRN), e acontece também pelo facebook.com/ceufrn.

As apresentações fazem parte do VIII Ciclo de Políticas Educacionais, em parceria com o Laboratório de Políticas Públicas Educacionais (LAPPE), e com o projeto Todos Juntos CE. O tema central do projeto é A educação e os desafios do tempo presente e  são realizados com a participação de professores de reconhecida competência nas áreas em debate, e  destinados aos alunos da pós-graduação e discentes da graduação presencial e a distância, como também a comunidade em geral.

Fonte:Agecom/UFRN,


   
   










Matéria Veiculada na TV Câmara sobre os 40 anos da FUNPEC





Destaque das Colunas


O apoio da FUNPEC para novos pesquisadores

13/03/2020 08:05 por André Maitelli





Redes Sociais