IMT e OMS realizam atividades no Janeiro Roxo contra a hanseníase

14/01/2020 15:15


Uma campanha pouco difundida, mas com grande relevância para a saúde, o Janeiro Roxo chama atenção para o perigo e as necessidades do cuidado e tratamento contra a hanseníase. Para reforçar a preocupação em relação a essa doença, a UFRN, por meio do Instituto de Medicina Tropical (IMT) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), realiza, neste mês, duas atividades de atenção e diagnóstico a possíveis novos infectados. As ações acontecem no dia 27, na Unidade Clínica do IMT, em Natal, e no dia 30, no PAM do Bom Jardim, em Mossoró.

Durante todo o dia, uma equipe de profissionais receberá todas as pessoas que apresentem manchas dormentes pelo corpo, lesões crônicas ou que tiveram contato com pacientes já diagnosticados. Após uma triagem, aqueles que apresentarem sintomas da infeção serão encaminhados por médicos para iniciarem o tratamento. Natal e Mossoró são os municípios com maior registro dessa patologia no estado.

Conhecida inicialmente como lepra, a hanseníase foi responsável pela morte e exclusão de um número gigante de pessoas ao longo da história. Apesar de tão antiga, identificada desde 600 anos antes de Cristo, essa infecção ainda é uma endemia no Brasil, que concentra o segundo maior número de casos no mundo, atrás apenas da Índia. Em 2018, foram notificados 28.800 novos pacientes, segundo relatório da OMS.

Segundo o médico dermatologista Maurício Lisboa Nobre, assessor para hanseníase na OMS, essa doença está associada a condições socioeconômicas da população, mas, talvez, um de seus principais problemas seja a negligência, o que provoca muitos diagnósticos tardios. “Essa é uma doença que tem cura, tratada com antibiótico, mas que se não cuidar logo, potencialmente pode causar incapacidade física”, explica.

Selma Jerônimo, diretora do IMT, alerta para urgência de tornar esse problema cada vez mais conhecido da população, para evitar que a doença continue se espalhando e causando tantos estragos. Segundo ela, o trabalho do Instituto de Medicina Tropical tem ajudado nesse percurso, não só identificando as áreas de risco e atuando junto às localidades, mas também buscando entender o mecanismo de transmissão e proliferação, além de oferecer novas possibilidades de diagnóstico e tratamento.

Hanseníase?

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) a hanseníase é uma doença infecciosa, de evolução crônica (muito longa) causada pelo Mycobacterium leprae, microorganismo que acomete principalmente a pele e os nervos das extremidades do corpo. A transmissão se dá de indivíduo para indivíduo, por germes eliminados por gotículas da fala e que são inalados por outras pessoas penetrando o organismo pela mucosa do nariz. Outra possibilidade é o contato direto com a pele através de feridas de doentes.

A hanseníase tem quatro ciclos e pode se manifestar apresentando desde lesões claras e dormentes a até alterações nos nervos próximos às lesões, podendo causar dor, fraqueza e atrofia muscular. Em sua forma mais grave, a hanseníase virchowiana, o paciente apresenta um quadro mais grave com anestesia dos pés e mãos, o que favorece os traumatismos e feridas que podem causar deformidades, inchaço das pernas e surgimento de nódulos. Os órgãos internos também são acometidos pela doença.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Progesp-UFRN realiza seleção interna para Programa de Capacitação e Qualificação

14/01/2020 13:00


A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) está com inscrições abertas, até dia 15 de janeiro, para a seleção interna para formação de banco de instrutores do Programa de Capacitação e Qualificação da UFRN relativo a 2020. A seleção é destinada para servidores do quadro permanente da UFRN, técnicos-administrativos e docentes. Os instrutores serão selecionados para atuarem em 32 atividades de capacitação, das quais 24 serão de preenchimento imediato.

As inscrições podem ser realizadas pelo Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH) > Menu Servidor > Capacitação > Inscrições > Realizar inscrição > Processo Seletivo Edital de Instrutores, anexando os documentos solicitados.

A divulgação do resultado preliminar será no dia 4 de fevereiro, a partir das 17h, no Portal da Progesp > Menu Capacitação > Editais > Seleção de Instrutores. Para mais informações, acesse o edital.

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







No Sul do País, fundações de apoio discutirão o Future-se e novas fontes de recursos para universidades públicas

14/01/2020 12:14


Dirigentes das fundações de apoio de universidades públicas e institutos federais se reunirão na sexta-feira, 17, no Sul do País, para discutir a 3ª versão do projeto Future-se, o andamento dos fundos patrimoniais e outros pontos, na tentativa de destravar fontes de recursos adicionais para manutenção do fomento da área de ciência e tecnologia.

Proposto pelo CONFIES (Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica) com apoia da Fundação da Universidade Federal do Paraná (FUNPAR), se realizará nesta próxima sexta-feira, 17, na sede da Fundação,  em Curitiba, de 10h30 às 17h00, na Rua João Negrão, nº 280.

Além da nova versão do projeto Future-se – programa que prevê flexibilizar o financiamento do ensino superior em consulta pública até 24 de janeiro –, a pauta do encontro discutirá os fundos patrimoniais e a fiscalização das fundações pelos órgãos de controle.

Abaixo, os principais temas do encontro:

▶ O Future-se em sua 3ª versão;

▶ Os fundos patrimoniais, como alavancá-los e o papel das Fundações de Apoio;

▶ Os credenciamentos do MCTIC para os fundos: como estão?

▶ Desistimos do GAT?

▶ Retomada da autorregulação (CGU), e necessária aproximação com o TCU e Ministérios Públicos Estaduais;

▶ Treinamentos de capacitação e a TV CONFIES; e outros assuntos.

Fonte: CONFIES.


   
   







Escola Agrícola de Jundiaí realiza inscrições para especialização em Gestão Ambiental

14/01/2020 12:01


A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), realiza processo seletivo para o curso de Especialização em Gestão Ambiental, na modalidade a distância. O curso tem por finalidade a complementação, ampliação e desenvolvimento do nível de conhecimento teórico-prático de profissionais das instituições de ensino. As inscrições encerram dia 17 de janeiro e podem ser realizadas somente on-line, por meio do Sigaa.

São apresentadas duas linhas de pesquisa: Proteção Ambiental e Gestão de Recursos. A linha de pesquisa Proteção Ambiental busca identificar exequibilidades de uso dos recursos naturais, analisar os problemas ambientais oriundos do uso inadequado dos recursos naturais, estudar a ecodinâmica de paisagens e a questão da degradação e educação ambiental. Já a de Gestão de Recursos visa à identificação de conflitos de uso dos recursos naturais e das políticas ambientais, à análise das políticas de desenvolvimento e do meio ambiente, à avaliação da capacidade de suporte dos sistemas ambientais naturais objetivando a sustentabilidade do desenvolvimento. 

O resultado da seleção será divulgado dia 7 de fevereiro, no site do e-Tec e no Sigaa. Mais informações estão disponíveis no edital

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Mestrado Acadêmico em Nutrição inscreve até o dia 16 de janeiro

10/01/2020 14:00


O Programa de Pós-Graduação em Nutrição (PPGNUT) abre processo seletivo para mestrado acadêmico em Nutrição, com 23 vagas: 20 delas para inscritos externos à UFRN e três para servidores da universidade. O prazo de inscrições, que podem ser feitas via Sigaa, vai até o dia 16 de janeiro. A taxa de inscrição é R$ 100. 

A seleção está disposta em quatro etapas: a homologação das inscrições, cujo resultado será divulgado no dia 27 de janeiro; a prova escrita, no dia 4 de fevereiro, no Departamento de Nutrição/UFRN, às 13h30; do dia 4 ao dia 6 de março serão realizadas as apresentações de propostas de trabalho científico; a análise curricular, que ocorre entre os dias 13 e 17 de março; e a divulgação final dos resultados, no dia 25 de março.

A documentação exigida no edital demanda, entre outros documentos, currículo Lattes, proposta de trabalho científico e exame de proficiência em língua inglesa.

Os inscritos devem ter diploma de graduação em Nutrição ou em áreas correlatas. O mestrado conta com duas linhas de pesquisa: Qualidade de Alimentos, com 10 vagas, e Diagnóstico e Intervenção Nutricional, com 13 vagas. 

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   










V ENNFAIES





Destaque das Colunas


A Importância da Ciência e Tecnologia para um País

16/12/2019 11:06 por André Maitelli





Redes Sociais