UFRN e SBPC planejam projeto arquitetônico da 72a Reunião

23/01/2020 16:30



Seguindo com o planejamento da 72a Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que acontece na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) de 12 a 18 de julho, o reitor José Daniel Diniz Melo se reuniu com o superintendente Financeiro da SBPC, Luiz Roberto Pereira Dionísio, na manhã desta quarta-feira, 22, na Reitoria. O tema central do encontro foi o projeto arquitetônico da Expotec, área onde ocorrem as mostras de ciência, tecnologia e inovação do evento.

A ExpoTec tem o intuito de reunir centenas de expositores de instituições de ensino, institutos de pesquisa e agências de fomento, como entidades governamentais e do setor empresarial, para promover novas tecnologias, produtos e serviços. Nessa perspectiva, o representante da SBPC, Luiz Dionísio, apresentou um projeto arquitetônico inicial que ocupará uma área de 6 mil m2 na UFRN.

O reitor Daniel Diniz e a equipe da UFRN discutiram, junto ao representante da SBPC, as possibilidades de localização da Expotec, com o intuito de melhorar a realização do evento, tendo como preocupações ainda o trânsito e a locomoção da população que vive próxima ao Campus Central ou que utiliza o anel viário como rota de deslocamento. Como resolução do encontro, ficou decidido conjuntamente que será feito um estudo de dimensionamento arquitetônico com a participação de representantes das duas instituições.

SBPC na UFRN

A Reunião Anual da SBPC é considerada o maior evento científico da América Latina. A programação é gratuita e aberta a toda população, com a oferta de diversas atividades, como conferências, palestras, rodas de conversa, encontros, oficinas e minicursos de todas as áreas do conhecimento. O evento deste ano terá como tema Ciência, educação e desenvolvimento sustentável para o século 21, sendo seu principal objetivo aproximar a ciência da sociedade, mostrando que os estudos científicos fazem parte do nosso cotidiano e são necessários para a qualidade de vida da população.

Fonte: Ascom/Reitoria.


   
   







Doutorado em História inscreve até a sexta-feira, 24

23/01/2020 14:00


A Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em História, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), encerra, nesta sexta-feira, 24, o período de inscrições de alunos para Doutorado para o período letivo 2020.1.

 São ofertadas 12 vagas, das quais duas são reservadas para servidores da UFRN, distribuídas nas linhas de pesquisa do programa. A inscrição deverá ser feita online por meio do endereço eletrônico do Sigaa, na opção Processos Seletivos – STRICTO SENSU, clicar no link Doutorado em História.

 A seleção ocorrerá em cinco etapas: uma etapa preliminar; análise do projeto de pesquisa; arguição e defesa do projeto de pesquisa; prova de Língua Estrangeira; e Análise de Currículos. O resultado final será divulgado no dia 4 de março.

Fonte: Agecom/CCHLA.


   
   







Seminário reúne pesquisadores para discutir enfrentamento da sífil

23/01/2020 11:30


A cidade de Coimbra, em Portugal, receberá, entre os dias 27 e 28 de janeiro, a 1ª edição do Seminário Internacional Sífilis Não na Perspectiva da Formação Humana em Saúde: a pesquisa no espaço lusófono e ibérico. O evento é uma promoção do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), em parceria com o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS 20), da Universidade de Coimbra.

O evento, desenvolvido com anuência do Ministério da Saúde do Brasil, tem como objetivo fortalecer as cooperações internacionais e alinhar as pesquisas em andamento entre os dois centros, além de articular as produções conjuntas entres grupos de pesquisas, definir agendas de trabalho para os próximos anos (de 2020 a 2025), integrar pesquisadores e discutir o cenário de enfrentamento à sífilis no Brasil, onde ocorre o Projeto de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção (Sífilis Não), bem como nos demais países envolvidos.

Além de Brasil e Portugal, o evento conta com a participação de palestrantes da Espanha, de Guiné-Bissau e de São Tomé e Príncipe.

O coordenador do LAIS, professor Ricardo Valentim, falou sobre as possibilidades de integração proporcionadas por este primeiro encontro. “O seminário é importantíssimo, pois irá reunir representantes do governo brasileiro, discutindo o enfrentamento da sífilis no Brasil, que pode servir de modelo para outros países. O encontro terá ainda representantes dos governos de Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, reforçando a integração entre países lusófonos no sentido de buscar soluções e estratégias para o combate da epidemia de sífilis e de outras ISTs, tanto no âmbito da América do Sul, como em países da Europa e África.

A programação completa está disponível no site do evento: https://seminariosifilisnao.lais.huol.ufrn.br/

Sobre o projeto Sífilis Não

O Projeto de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção, comumente conhecido como Sífilis Não, é fruto de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), tem como objetivo ações efetivas e pesquisas aplicadas nas áreas acadêmica e médica que visem à redução dos casos de sífilis adquirida e a possível eliminação da sífilis congênita por todo o Brasil.

Fonte: Ascom/Sedis.

Atuando em quatro eixos distintos (gestão e governança, vigilância, cuidado integral e fortalecimento da educação e comunicação), o projeto visa à capacitação de gestores e profissionais na área da saúde, implantando linhas de cuidado para a sífilis com acompanhamento e intervenção em populações-chave, como grupos de gestantes e pessoas do meio LGBT.

O projeto também conta com a participação de diversos apoiadores, que são responsáveis pelas ações na vigilância e na atenção primária em saúde, fortalecendo assim o Sistema Único de Saúde (SUS) e formando uma articulação rápida e forte contra a sífilis.  



   
   







Instituto Ágora anuncia vagas em cursos de Português para Estrangeiros

23/01/2020 10:11


O Instituto Ágora divulga edital para vagas para alunos nos cursos de Português para Estrangeiros. As matrículas serão realizadas nos dias 27 e 28 de fevereiro, das 8h às 12h e das 13h às 17h, na secretaria do Instituto Ágora. O aluno poderá ser atendido em inglês, caso necessário. As aulas ocorrerão de 7 de março a 4 de julho.

Para se matricular, o aluno precisará de CPF, passaporte, cópia da folha do visto do passaporte, comprovante de residência e Registro Nacional de Estrangeiro (RNE). Além disso, o aluno deve pagar uma taxa de R$ 250,00 à vista, referente ao valor do semestre todo.

Cada turma tem 20 vagas, sendo elas:

– Português 1 (Turma 1): Segundas e quartas – 13h às 14h40

– Português 1 (Turma 2): Segundas e quartas – 13h às 14h40 (para hispânicos)

– Português 2: Terças e quintas – 14h55 às 16h35

– Português 4: Terças e quintas – 14h55 às 16h35

– Conversação 2: Terças e quintas – 16h50 às 18h30

– Português Avançado 1: Sábados – 8h às 12h

Os alunos novos podem realizar teste de nivelamento para cursar as turmas de Português 2, 3; Avançado 1 ou Conversação 2, que será realizado no dia 18 de fevereiro, das 13h às 17h. A inscrição para o teste deve ser realizada pelo e-mail ple.ufrn@gmail.com até 23h do dia 17 de fevereiro.

Para mais informações, acesse o edital ou entrar em contato com o Instituto Ágora pelo telefone +558433422257 (ramal 922).

Fonte: Agecom/UFRN.


   
   







Saúde Mental é pauta de atividades na Maternidade Januário Cicco

22/01/2020 14:00


Pensar sobre a vida, condição social e psicológica, relacionamentos pessoais e profissionais, propósitos, emoções, sentimentos e sobre como está a saúde mental, numa perspectiva integral, é o objetivo da celebração do Janeiro Branco, campanha de conscientização em favor da saúde mental criada em 2014, em Minas Gerais, pelo psicólogo Leonardo Abrahão e que hoje cresce em todo o país.

A partir desta terça-feira, 21, a Maternidade Escola Januário Cicco da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (MEJC-UFRN), vinculada a Rede Hospitalar Ebserh, promove a Campanha Janeiro Branco, com o tema Precisamos falar sobre Saúde Mental.

A programação acontecerá até o final do mês e contará com oficina de comunicação não violenta, rodas de conversas sobre estresse com sessões de acupuntura, debate sobre saúde mental com o psiquiatra Jorge Nóbrega, realização do abraçaço em todos os setores da maternidade e a disponibilização de um painel reflexivo sobre o autocuidado físico, emocional, social e espiritual, levando as pessoas a refletirem sobre as ações e mecanismos que praticam em prol de sua saúde mental.

Segundo a psicóloga organizacional da MEJC, Monique Pimentel, a campanha do Janeiro Branco nasceu para tornar realidade o ideal de um mundo mais saudável em relação à subjetividade dos indivíduos. “Precisamos falar sobre saúde mental, convidando cada um a cuidar de si e do outro, contribuindo para um mundo com mais sentido e harmonia”, afirma.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que as perturbações mentais e comportamentais são comuns e afetam mais de 25% da população em certa fase da sua vida. Essas perturbações são também universais, atingindo pessoas de todos os países e sociedades, de todas as idades e exercem um impacto económico sobre as sociedades e sobre o padrão de vida das pessoas e das famílias.

Estudos da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) apontam que o Brasil apresenta as maiores taxas de comprometimento da saúde mental do continente americano, causadas por depressão (9,3%) e ansiedade (7,5%).

“O crescente número de casos de doenças relacionadas à falta de qualidade de vida é um sinal de alerta para que se repense e trate a saúde mental com a urgência que merece”, ressalta a especialista.

Acesse a programação completa do Janeiro Branco na MEJC.

Fonte: Ascom/MEJC.


   
   










V ENNFAIES





Destaque das Colunas


A Importância da Ciência e Tecnologia para um País

16/12/2019 11:06 por André Maitelli





Redes Sociais